MEUS PÉS

sempre foram meio estranhos a sapatos; a maior parte deles me machucava, pelo menos quando eram novos. Pequena já tinha umas calosidades na sola, lembro bem. Tornei-me adolescente e os pés cresceram tanto que hoje calço 39 -- é bastante para quem tem 1,68 de altura. Quando li "Iracema", de José de Alencar, na escola, impressionei-me muito … Continue lendo MEUS PÉS

JÁ PENSARAM

que eu era bailarina, por conta dos meus pés; que eu era arquiteta, pela minha letra; que eu tinha uma banda, porque falava muito de música durante as aulas; que eu me chamava Cristina ou Laís; que eu tinha nascido no interior, a família morava toda lá; que em São Paulo eu dividia um apartamento … Continue lendo JÁ PENSARAM