QUASE NO FIM

do filme, dois personagens se encontram: comentam a história em quadrinhos que é desenhada durante o filme. A personagem que leu a história pergunta pro autor: - o cientista que você desenhou é o seu pai? Ele responde: - não, isso é só uma história. Você está tentando encontrar correspondências. O mesmo acontece com quem … Continue lendo QUASE NO FIM

CHEGOU UM DIA

de arrumar tudo: então abrimos os armários, separamos livros, trocamos de lugar algumas coisas na casa. Na bagunça, os vinis iam sozinhos para o toca-discos, a música começava - um susto! Tudo bem, os discos de vinil são assim mesmo, sabem tocar sozinhos. Fui lavar as mãos e a torneira era ao mesmo tempo uma … Continue lendo CHEGOU UM DIA

DENTRO

de dois apartamentos vizinhos, que vão se transformando, os personagens circulam. Tetos e paredes caem, a água infiltra; um fogão explode; entram ladrões; descobrem onde ficam os quartos escondidos, onde a comida é guardada; chegam em momentos inadequados, sem avisar; a polícia chega. Mas todos vão embora no final; e ficamos nós no apartamento, ouvindo … Continue lendo DENTRO

MISTURANDO TUDO

Hannah e suas irmãs, Minha noite com ela, jogo de corrida de carros nas cidades, Waking life, A origem, Alta fidelidade, 500 dias com ela, Amélie Poulain, Seattle nos anos 90, terremotos em 1910, pontes e mais pontes foram criando um sonho assim: eu, e mais alguém, saíamos por San Francisco ensolarada. Primeiro uma loja … Continue lendo MISTURANDO TUDO

PORQUE PRIMEIRO

de tudo, o título atraiu, essa expressão aparece num texto; pareceu algo próximo. Depois, para ajudar, veio um comentário: teria muito de mim na personagem. Então eu estava vendo na Binoche um eu possível, que não sei ver. Tanto faz se a personagem é um eu inventado ou corresponde exatamente a quem eu sou. Terminado … Continue lendo PORQUE PRIMEIRO